18
ago
2012
Maravilhas de Carlos Drummond de Andrade


Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional…

[Carlos Drummond de Andrade]







7
ago
2012
Atriz Drew Barrymore irá dirigir filme sobre o fim do mundo


A atriz Drew Barrymore fez sua estreia como diretora em 2009 com a comédia Garota Fantástica. Agora, prepara-se para dirigir seu segundo filme, um drama intitulado The End. As informações são do Hollywood Reporter.

O filme irá mostrar algumas catástrofes que tomarão conta da Terra antes de o mundo acabar. Ele será focado em vários personagens, como um DJ londrino que está determinado a crescer na carreira até seu último dia de vida, um pai que tenta encontrar a esposa e o bebê em Tóquio antes que o mundo chegue ao fim, e um jovem casal nos EUA que não consegue concordar em qual de suas famílias irão visitar antes do dia final.

Drew, que não deve estrelar no longa, também tem planos de dirigir a comédia romântica How to Be Single e de produzir o suspense Heist Society.


Fonte: Terra







6
ago
2012
Poetando na Segundona


[oh] [pais] [heartt]

A saudade é um buraco na alma que se abriu quando um pedaço nos foi arrancado.No buraco da saudade mora a memória daquilo que amamos, tivemos e perdemos. A saudade é a presença de uma ausência.

Rubem Alves

[anima] [fro] [=)]


[kiss] [anima] [pais]

Gosto de ver os casulos de borboletas. Lagartas feias que adormeceram, esperando a mágica metamorfose. De fora olhamos e tudo parece imóvel e morto. Lá dentro, entretanto, longe dos olhos e invisível, a vida amadurece vagarosamente.

Rubem Alves

[starr] [blis] [fro] [lip]

O nascimento do pensamento
é igual ao nascimento de uma criança:
tudo começa com um ato de amor.
Uma semente há de ser depositada no ventre vazio.
E a semente do pensamento é o sonho.
Por isso os educadores ,antes de serem especialistas
em ferramentas do saber, deviam ser especialistas em amor:
intérpretes de sonhos.

Rubem Alves







6
ago
2012
Vai lá!
Categorias: criatividade, Vida


Fonte da Imagem: Frases Ilustradas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...