11
dez
2012
Símbolos do Natal


PERU DE NATAL – conta-se que o peru passou a integrar a ceia de Natal por iniciativa dos espanhóis durante o século XVI, que o adotaram em substituição a aves mais caras como o faisão ou o cisne. O hábito teria se difundido por toda a Europa e, mais tarde, alcançado também as Américas.

.

BONECO DE NEVE – nos países frios, as crianças se acostumaram a sair nos dias que antecedem o Natal para criar seus próprios bonecos de neve. O processo é muito simples, sendo apenas necessário armar duas grandes bolas de neve e colocá-las uma sobre a outra. Também é preciso uma cenoura para servir de nariz, um cachecol velho, um chapéu, algumas laranjas para os olhos e quatro galhos para servir de pés e mãos.


PANETONE –
não existe uma explicação oficial. Uma das versões diz que o panetone foi criado em 900 na Itália pelo padeiro Tone, batizado então de pane-di-Tone. O que se sabe ao certo é que o panetone foi trazido ao Brasil pelos imigrantes italianos após a Segunda Guerra Mundial.


CEIA DE NATAL –
durante a Saturnália, festa pré-cristã da Roma Antiga, as pessoas se esbaldavam em banquetes. Como a festa terminava em 25 de dezembro, a mesa farta foi incorporada ao Natal. A presença de frutas secas e cristalizadas deve-se ao inverno rigoroso na região.

FLOR DO NATAL – poinsétia também designada pelos nomes de bico-de-papagaio, rabo-de-arara e papagaio (no Brasil), cardeal, flor-do-natal, ou estrela-do-natal, é uma planta originária do México, onde é espontânea. O seu nome científico é Euphorbia pulcherrima, que significa “a mais bela (pulcherrima) das eufórbias”. É uma planta muito utilizada para fins decorativos, especialmente na época do Natal, devido às suas folhas semelhantes a estrela de natal. Como é uma planta de dia curto, floresce exatamente no solstício de Inverno que coincide com o Natal (no hemisfério norte – o que explicaria porque essa planta não é tão identificada com o Natal no Brasil). Foi introduzida nos Estados Unidos da América por Joel Poinsett, embaixador do México, nos primórdios de 1800.

CORES DO NATAL – esta tradição remonta aos festivais do solstício. O verde representa a natureza e o desejo de longevidade. O vermelho é atribuído ao azevinho, um arbusto que cresce ao longo do inverno, cobrindo-se de bagas vermelhas. Diz-se que o nascer das bagas simboliza Cristo. O vermelho é também uma das chamadas cores quentes, provocando sensação de aquecimento e alusão aos mais nobres sentimentos do coração.

Fonte: Google







7
dez
2012
A arquitetura é o meu jeito de expressar meus ideais


“Não me sinto importante. A arquitetura é o meu jeito de expressar meus ideais: ser simples, criar um mundo igualitário para todos, olhar as pessoas com otimismo. Eu não quero nada além da felicidade geral.”
(Oscar Niemeyer)

.


” O mais importante não é a arquitetura, mas a vida,
os amigos e este mundo injusto que devemos modificar ”
Oscar Niemeyer







4
dez
2012
Origem dos símbolos de Natal


Símbolos do Natal

ÁRVORE DE NATAL E OS PRESENTES – a origem da árvore de Natal vem da antiga Babilônia. Vem de Ninrode, neto de Cão, filho de Noé. Ninrode se afastou de Deus e enveredou-se pelo caminho da apostasia. Segundo se sabe, Ninrode era tão perverso que se teria se casado com a própria mãe, cujo nome era Semíramis. Após a sua morte, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida. E, todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore “sempre viva” e deixava presentes nela. Entre os druidas, o carvalho era sagrado, entre os egípicios as palmeiras, em Roma era o Abeto, que era decorado com cerejas negras durante a Saturnália. O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de Natal a quem se aproximava do seu Abeto Sagrado. Esta é a verdadeira origem da “Árvore de Natal” e da prática de se dar “presentes”!

O “PAPAI” NOEL – o velho “Noel” não é tão bondoso e santo quanto muitos pensam! O nome “Papai Noel” é uma corruptela do nome “São Nicolau”, um bispo romano que viveu no século V. Na Enciclopédia Britânica, vol.19 páginas 648-649, 11ª edição inglesa, consta o seguinte:

“São Nicolau, bispo de Mira, um santo venerado pelos gregos e latinos no dia 6 de dezembro.


DAR PRESENTES ÀS ESCONDIDAS
– a lenda das dádivas do “Papai Noel” oferecidas as escondidas, de dotes, às três filhas de um cidadão empobrecido.” Daí teria surgido a prática de se dar presentes “as escondidas” no dia de São Nicolau (6 de dezembro). Mais tarde essa data fundiu-se com o “Dia de Natal” (25 de dezembro), passando a se adotar também no natal essa prática de se dar presentes “às escondidas”, como o fazia o Saint Klaus (o velho Noel!). Daí surgiu a tradição de se colocar os presentes às escondidas junto às árvores de natal!

,center>

COROA DE AZEVINHO OU GUIRLANDA – ás vezes conhecida por “coroa de Natal” ou “Guirlanda” são memoriais de consagração. Em grego é “stephano”, em latim “corona” – podem ser entendidas como: enfeites, oferendas, ofertas para funerais, celebração memorial aos deuses, celebração memorial à vitalidade do mundo vegetal, celebração das vítimas que eram sacrificadas aos deuses pagãos, celebração nos esportes. Significam um “Adorno de Chamamento” e, conseqüentemente, são porta de entrada de deuses. Razão pela qual, em geral, se colocam as guirlandas nas portas, como sinal de boas vindas! A maior parte

dos deuses pagãos do Egito aparecem sempre com a “guirlanda” na cabeça! A Bíblia não faz qualquer menção de uso de “guirlanda” no nascimento de Jesus. Só existe uma guirlanda na Bíblia, e esta foi feita por Roma para colocar na cabeça de Jesus no dia da sua morte. Esta guirlanda de espinhos é símbolo de escárnio!


VELAS OU LUZES
– o uso de velas é um ritual pagão dedicado aos deuses ancestrais. A vela acendida está fazendo renascer o ritual dos solstícios, mantendo vivo o deus sol. Não tem nenhuma relação com o candelabro judaico (ou Menorah). Mais recentemente, em lugar das velas passou-se a adotar velas elétricas, velas à pilha, e, finalmente, as luzes – o sentido é o mesmo!


SINOS – os sinos emitem sons agradáveis e audíveis à distância, e são tocados em ocasiões geralmente festivas. Fazem parte do campanário das igrejas e também têm uso particular. Servem para enviar mensagens pelo ar. E a grande mensagem é o nascimento de Jesus. Por isso, o sino é o sinal de anúncio e alegria para todos.

*** Continua na 2ª parte

Fonte: Google







22
jul
2009
Amizade, palavra pequenina


Amizade é uma palavra pequenininha…

Letícia Thompson

Amizade é uma palavra pequenininha, mas que nunca vem sozinha.
Ela dá sempre a mão com o
conta comigo,
estou aqui,
se precisar, me chame,
estou feliz por você,
torço por você,
se precisar de um ombro, tenho dois,
penso em você,
gosto de você
estou te ouvindo,
não te esqueço, mesmo se não nos falamos todos os dias…
Amizade é esse amor misterioso e gostoso do coração dividido e unificado ao mesmo tempo.
Quem pode entender que o coração possa amar tanto e tantos?
O coração de um amigo é um mapa mundi onde cada um se encontra em
algum lugar, mas todos fazem parte do mesmo globo.
Diferentes, especiais e importantes, cada um a sua maneira.
E são nas diferenças que nos completamos, nas desavenças que aprendemos o perdão, a paciência e a humildade.
Ser amigo é saber aceitar que os outros não sejam iguais à gente, mas que os seus
valores podem enriquecer ainda mais os que temos e amá-los apesar das diferenças, como se ama uma rosa com espinhos, mas não menos bela.
Sozinho não é quem não tem ninguém;
sozinho é quem não tem um amigo.
Pouco importa saber em que parte do mundo nossos amigos se encontram se podemos sentir na alma que dentro de nós e dentro deles há um espaço reservado que nada mais poderá preencher.
Amizade, doce amizade…
se somos dois, unidos seremos um elo forte;
se somos muitos, seremos uma corrente que nada poderá vencer.

Amigo

Pe Zezinho

Quero ser teu amigo

nem demais e nem de menos,

nem tão longe e nem tão perto,

na medida mais precisa que eu puder

mas amar-te como próximo, sem medida

e ficar sempre em tua vida

da maneira mais discreta que eu souber,

sem tirar-te a liberdade,

sem jamais te sufocar,

sem forçar a tua vontade,

sem falar quando for hora de calar,

e sem calar quando for hora de falar,

nem ausente. nem presente por demais,

simplesmente, calmamente, ser-te paz.

É bonito ser amigo, mas confesso,

é tão difícil aprender,

por isso eu te peço paciência,

vou encher esse teu rosto de alegrias

e lembranças!

Dê-me tempo de acertar nossas distâncias!







20
jul
2009
Felizes os que possuem Amigos


Hoje é Dia do Amigo, ter um amigo é uma dádiva de Deus. Quando falo amigo, falo no sentido genérico  da palavra. Tenho muitos amigos, mas a Palavra diz que, há amigos mais chegados que um irmão. Eu tenho  uma amiga assim , o nome dela é Fátima. Estudamos juntas, fizemos Concurso para a Prefeitura juntas. Fomos trabalhar na primeira Escola, juntas,  e hoje, ela se aposentou por problemas de saúde, mais estamos sempre em contato. É uma amiga que, ora por mim, se preocupa comigo, não me esquece, nunca!  Louvo à Deus pela vida da Fátima, uma amiga com o dom do amor, muito carinhosa. No meu aniversário é de lei, ela se faz presente,  e eu fico radiante de alegria.  Dedico à Fátima,  e a todos vocês esses sábios pensamentos:

“As pessoas realmente ligadas não precisam de ligação física. Quando se reencontram, mesmo depois de muitos anos afastados, sua amizade é tão forte quanto sempre.” [Deng Ming-Dao]

Só existe uma coisa melhor do que fazer novos amigos: conservar os velhos.” [Elmer G. Letterman]

Eu procuro seguir esse conselho. Conservar os velhos amigos. Se entristeci alguém,luto e  me esforço de todas as maneiras para consertar.Mesmo que a pessoa não mais seja a mesma de antes, mais só saber que ela não guarda mágoas, que já liberou o perdão,  já valeu  a tentativa.

“A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delícia da companhia. É a inspiração espiritual que vem quando você descobre que alguém acredita e confia em você.” [Ralph Waldo Emerson]

Esse ano conheci a Sissym, uma amiga muito querida do DIHITT, foi uma tarde inesquecível. Almoçamos juntas, tiramos várias fotos e nos conhecemos mais um pouquinho, foi muito legal.

01072009058_x1

Minha irmã Selma é muito minha amiga. Apesar de morar longe, sempre se faz presente através de, orações, emails, msn e ligações telefônicas.  As vezes não estamos de corpo presente, mas estamos conectados pelo coração. Se estamos ligados pelo coração, já valeu à pena!!!

Aqui nessa foto, estamos comemorando mais um aniversário da Selma. Ela faz dia 14 de julho, junto com a vovó. Comemoramos lá, na casa de nossa vó,  e comemoramos aqui em casa. A festança foi boa!!!Reunimos boa parte da família.

Aniversário da Selma

Dedico essa linda reflexão a todos os meus amigos, aqueles que vem sempre aqui e me honram com seus comentários, aqueles  que me visitam,  mais não deixam comentário. A todos, indistintamente a todos,  desejo um : Feliz Dia do Amigo!!

Pessoas são presentes
(S. Sheider/H. Hartmann)
Vamos falar de gente, de pessoas.
Existe, acaso, algo mais espetacular do que gente?
Pessoas são um presente.
Algumas têm um embrulho bonito, como os presentes de Natal, Páscoa ou festa de aniversário.
Outras vem em embalagens comuns.
E há as que ficam machucadas no correio…
De vez em quando, chega uma registrada.
São os presentes valiosos.
Algumas pessoas trazem invólucros fáceis de desenbrulhar; de outras, é dificílimo, quase impossível, tirar a embalagem. É fita durex que não acaba mais.
Mas… a embalagem não é o presente. E tantas pessoas se enganam confundindo a embalagem com o presente!
Por que será que alguns presentes são complicados para se abrir? Talvez porque, dentro da bonita embalagem, haja muito pouco conteúdo, e com tanto vazio, com tanta solidão, a decepção seria grande.
Também você, amigo, e também eu, somos um presente para os outros. Você para mim, eu para você.
Triste seria se fôssemos apenas presentes-embalagem : muito bem empacotados e…quase nada lá dentro!
Quando existe o verdadeiro encontro com alguém, no diálogo, na abertura, na fraternidade, deixamos de ser meras embalagens e passamos à categoria de reais presentes.
Nos verdadeiros encontros humanos, acontecem coisas muito comoventes e essenciais. Mutuamente, vamo-nos desembrulhando, desempacotando, revelando …
Você já experimentou essa imensa alegria da vida? A profunda alegria que nasce da alma, quando duas pessoas se comunicam, virando um presente uma para outra?
O conteúdo interno é o segredo para quem deseja tornar-se presente aos irmãos de cada estrada, e não apenas a embalagem.
Um presente assim, que não necessita de embalagem, é a verdadeira alegria que a gente sente e não consegue descrever – só nasce no verdadeiro encontro com alguém.
A gente abre, sente e agradece a Deus.

**  Beijos a todos vocês e obrigada pelo carinho da amizade.
**Esses selinhos ganhei hoje no Dia do Amigo e posto aqui para todos vocês que me visitam:
oi_amigo-334
Esse selo, ganhei da amiga Pachulla do Blog:  No Jardim da Pachulla
selo-amizade
Esse selo , ganhei da minha amiga Mirna do Blog:  Miluz
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...