18
mar
2013
Seu amor é melhor que Petit Gâteau
Categorias: Literatura


Um livro gostoso de ler, saboreie essa delícia!!! Seu amor é melhor que Petit Gâteau traz este gostinho inesquecível de um amor que não se sabe ao certo como nasceu, mas que pode se tornar melhor que a casca crocante e o recheio cremoso do melhor PETIT GÂTEAU e o melhor ainda, sem contraindicações.

 photo tn_livro_seu_amor_e_melhor_que_petit_gateau-500x500.jpg

SINOPSE da Editora Hagnos
Obra traz coletânea de textos românticos de grandes escritores que sintetizam a essência do relacionamento amoroso

Petit gâteau é um pequeno bolo de chocolate com casca crocante e recheio cremoso, normalmente servido com uma bola de sorvete de creme. Sua origem é incerta – algumas histórias afirmam ter surgido nos Estados Unidos da América; outras dizem que foi criado na França. Reza a lenda que seu nascimento ocorreu quando um aprendiz de chefe de cozinha aqueceu demais um forno. Mesmo com o erro, os clientes adoraram a receita e assim popularizou-se esta sobremesa que é apreciada em todo o mundo. Lendas à parte, este pequeno bolo de chocolate com casca crocante e recheio cremoso provoca em seus apreciadores um gostinho de “quero mais”.

O livro Seu amor é melhor que Petit Gâteau traz uma coletânea de textos, poemas e citações especialmente escolhidas para colocar em palavras a sensação que causa aquele amor que não se sabe ao certo como nasceu, mas que tem um sabor especial, fazendo com que os amantes queiram um ao outro sempre mais e mais. A obra traz alguns dos momentos mais inspirados de grandes escritores como William Shakespeare, Victor Hugo, Fernando Pessoa e Graciliano Ramos. O livro é inteiramente ilustrado com imagens românticas de pessoas de todas as idades e raças, expondo a universalidade de um sentimento que não faz distinções de nenhum tipo.

Seu amor é melhor que Petit Gâteau apresenta também uma rica coleção de textos românticos de autoria desconhecida. Dessa forma, o livro oferece à obra de seus autores anônimos um lugar entre os escritores de destaque, reconhecendo a riqueza de suas palavras ao descreverem, cada um a seu modo, as várias formas de identificarem o sentimento mais profundo que homens e mulheres podem compartilhar.

* Para conhecer outros títulos sobre o assunto acesse: www.hagnos.com.br







23
fev
2013
Fragmentos para pensar


Esses fragmentos eu peguei lá do excelente Poetriz , para comentar aqui com vocês. A Flávia,tem esse dom,de tirar do livro,a melhor parte, aquilo que é a alma do livro:

Photobucket

Peso muito grande
.
Só estou contando agora por uma única razão: uma história não contada tem um peso muito grande que pode levar você para o fundo do abismo e deixá-lo lá como um navio naufragado no fundo do oceano. Isso eu aprendi. Esse tipo de história, de coisas que são mantidas em segredo, tem o poder de ficar escondida para sempre, principalmente de você mesma. Mas os fantasmas daquele navio naufragado vão continuar a lhe assombrar.

Deb Caletti in “Um Lugar para Ficar”

Existem histórias que a gente guarda, mas, hora e outra elas vem à mente e, geralmente nos causa dor. Nessa hora, seria melhor, você procurar um(a) amigo(a), eu disse amigo(a), de confiança e, abrir-lhe o coração. Desabafar tudo aquilo que está espremido,reprimido,guardado,escondido. Tenho certeza, que fazendo assim,vc se sentirá aliviado(a), parecendo que tirou um fardo das costas. Existem situações que nos causam muita tristeza e, compartilhá-la com alguém de nossa confiança, já é um caminho para a cura.
.

Photobucket

Noventa e nove por cento

A maioria de nós não pode sair correndo por aí, falar com todo mundo, conhecer todas as cidades do mundo. Não temos tempo, dinheiro ou tantos amigos assim. As coisas que você está procurando, Montag, estão no mundo, mas a única possibilidade que o sujeito comum terá de ver noventa e nove por cento delas está num livro.

Ray Bradbury in “Fahrenheit 451″

.

De fato num livro, a gente viaja,conhece o mundo,vive situações e se transporta para aquele lugar que vc está lendo. O livro desvenda seus olhos, faz-nos crescer e assimilar novas idéias. O livros nos abre janelas e às vezes, mudamos até nossa ótica com relação a algumas coisas.







18
fev
2013
Aniversariando com Poesia : 5 anos
Categorias: amizade, Literatura, Poesia


Já que o nosso Compartilhando as Letras, está aniversariando,nada melhor do que poesia, para alegrar nosso espaço. No dia 16 de fevereiro de 2008, entrava online, pela primeira vez no sso Compartilhando. Mas, eu , que sou desligadíssima,só me lembrei ontem dia 17/02, só eu mesmo!!! Eu preciso me ligar na tomada de 220. Sou muito distraída, já dei cada furo por causa disso, vcs não tem noção.
.

Photobucket


Casimiro SainzSaiz

.
Ofício
.
Escrever
a água
da palavra mar
o vôo
da palavra ave
o rio
da palavra margem
o olho
da palavra imagem
o oco
da palavra nada
.
Maria Esther Maciel
.

.

Photobucket

Van Gogh

.

a noite

me pinga uma estrela no olho

e passa
.
.
.
Paulo Leminsk
(O que pintar eu assino)

.

Photobucket

Uso a palavra para compor meus silêncios.
Não gosto das palavras
fatigadas de informar.
Dou mais respeito
às que vivem de barriga no chão
tipo água, pedra, sapo.
Entendo bem o sotaque das águas.
Dou respeito às coisas desimportantes
e aos seres desimportantes.
Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas mais que a dos mísseis.
Tenho em mim esse atraso de nascença.
Eu fui aparelhado
para gostar de passarinhos.
Tenho abundância de ser feliz por isso.
Meu quintal é maior do que o mundo.
Sou um apanhador de desperdícios:
Amo os restos,
como as boas moscas.
Queria que a minha voz tivesse um formato de canto.
Porque eu não sou da informática:
eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios
.
.Manoel de Barros







14
fev
2013
Show de grandes escritores
Categorias: Literatura, Poesia


Photobucket

.

E havia um tempo em que o meu olhar dizia:
“Bom dia, Sr. Dia!”
Era o meu primeiro pensamento ao despertar.
Naquele tempo todas as coisas tinham nome próprio.
O relógio, não era o relógio apenas,
O relógio chamava-se Relógio
E as orações da noite eram ditas diretamente a Deus nosso Senhor.
Tudo era familiar.
Ao alcance da mão, da voz, do olhar.
Depois é que veio a Idade do Conhecimento
E ninguém mais se conhece!
.
Mario Quintana
(Preparativos de Viagem)

.

Photobucket

Um dia veio uma peste e acabou com
toda vida na face da Terra:
em compensação ficaram as bibliotecas…
E nelas estava meticulosamente escrito
o nome de todas as coisas!

Mario Quintana

.

Photobucket

.

DA SAUDADE
.
A natureza da saudade é ambígua: associa sentimentos de solidão e tristeza – mas, iluminada pela memória, ganha contorno e expressão de felicidade. Quando Garrett a definiu como “delicioso pungir de acerbo espinho”, estava realizando a fusão desses dois aspectos opostos na fórmula feliz de um verso romântico.Em geral, vê-se na saudade o sentimento de separação e distância daquilo que se ama e não se tem. Mas todos os instantes da nossa vida não vão sendo perda, separação e distância? O nosso presente, logo que alcança o futuro, já o transforma em passado. A vida é constante perder. A vida é, pois, uma constante saudade.Há uma saudade queixosa: a que desejaria reter, fixar, possuir. Há uma saudade sábia, que deixa as coisas passarem , como se não passassem. Livrando-as do tempo, salvando a sua essência da eternidade. É a única maneira, aliás, de lhes dar permanência: imortalizá-las em amor . O verdadeiro amor é, paradoxalmente, uma saudade constante, sem egoísmo nenhum.
.
Cecília Meirelles
.

.

Photobucket

.

Saudade eu tenho do que não nos coube
lamento apenas o desconhecimento
daquilo que não deu tempo de repartir
você não saboreou meu suor
eu não lhe provei as lágrimas
é no líquido que somos desvendados
no gosto das coisas o amor se reconhece
o meu pior e o meu melhor e os seus
ficaram sem ser apresentados.

Martha Medeiros in”Cartas extraviadas e outros poemas”







28
jan
2013
Dica de livro: O Desafio de Amar
Categorias: Literatura, Livros, Reflexão


Photobucket

.
Esse livro é uma experiência devocional de 40 dias para maridos e esposas que desejam entender o amor incondicional independente de como esteja o seu casamento. Ameaçado ou saudável, O Desafio de Amar é uma estrada que precisa ser seguida. É hora de descobrir os segredos de um casamento cheio de vida e da verdadeira intimidade.

 

Este livro é citado dentro do filme Prova de Fogo (dos mesmos produtores de Desafiando os Gigantes). O livro não é a trama do filme em si, é apenas um dos recursos usados por um dos personagens do filme – que agora poderá também ser um recurso para você usar em sua vida ou no ministério de casais de sua igreja.

 

Conforme proposto no filme, o livro O Desafio de Amar é feito em forma de um diário, onde durante 40 dias você encontra um devocional e um desafio específico para aquele dia.

.

 

 

Leia online:

O Desafio de Amar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...