29
jun
2013
Poetando num inverno sem frio


Ontem estive num jantar muito bem organizado para nós,mas , o que me chamou a atenção é que a nossa geração gosta de conversar,trocar ideias e se reunir para aquele encontro gostoso que faz tão bem. Os jovens de hoje, podem reparar,cada um isolado nos seus iPhones,iPad, jogando,ouvindo músicas, vendo algum vídeos etc… Mas, e o bate papo que é tão bom e o compartilhar que nos ajuda no crescimento? Gosto da tecnologia, mas ,existe gente que vive completamente solitário(a), sem vida real.Sair, comer fora, conversar, encontrar pessoas, ir cinema,teatro ou simplesmente bater um bom papo com um(a) amigo(a), já faz um bem incrível!
Mas, deixemos esse papo pra lá e, vamos poetar?

 photo remendo.jpg

VIVER

Viver é um rasgar-se e remendar-se.

(Guimarães Rosa)

 photo onccedilapintada.jpg

.
EXTINÇÃO

Se um dia dizimarem
todos os tigres
da face da terra,
eu vou virar onça-pintada.
.
(Maria José Limeira)

.

PACIENTE

Sê paciente; espera
que a palavra amadureça
e se desprenda como um fruto
ao passar o vento que a mereça.
.
Eugénio de Andrade

.

REALIDADE

.
Diante de coisa tão doída
conservemo-nos serenos.
.
Cada minuto de vida
nunca é mais, é sempre menos.
.
Ser é apenas uma face
do não-ser, e não do ser.
.
Desde o instante em que se nasce
já se começa a morrer.
.
Cassiano Ricardo
.

.

VIDA

A inexpressiva multidão dos anos
Passou, anônima e apressada
Afinal, eu vivi,
Ou sonhei que vivi?.Helena Kolody







31
maio
2013
Dias de chuva
Categorias: Literatura, Poesia


 photo 4fb6017aadc14adbcbdb703b1e86eec5867eb584.jpeg

dia de chuva é para viajar
na neblina e no vento
para dentro para dentro

um livro fechado espera
que se abram suas portas
com as chaves do pensamento

Roseana Murray
in ‘Receitas de Olhar’







25
maio
2013
Poetando com Myrtes Mathias
Categorias: , Poesia, Reflexão


 photo 75943537.jpg
.
Quando eu ainda era criança, lembro-me bem que, sempre existia alguém que gostava declamar as poesias de Myrtes Mathias e Mário Barreto França na minha igreja. As poesias eram recitadas por ocasião de alguma programação especial ou mesmo nos cultos de domingo. Eu gostava de ver, como conseguiam decorar poesias enormes e faziam os gestos tão perfeitamente, que eu ficava maravilhada!! Existem poesias lindas e, que tocam a alma. Viu, como criança se lembra das coisas?? Aqui vai uma de Myrtes Mathias para matarmos a saudade.
.

Levantai os olhos… e vede o campo

Lá fora, além das paredes que te cercam
e protegem, longe do calor que te aquece
o corpo e o coração,está a grande vinha do Senhor;
crianças que perderam os pais,
mil mulheres que vendem o corpo,
milhões de jovens que procuram uma razão de ser;
povo, que é teu povo, caminhando
irremediavelmente para o abismo…
Pára. Olha. Pensa. E ouve teu desafio
na própria voz do Mestre:
“Levantai os olhos e vede…
Vai hoje trabalhar na vinha…”
Ainda é tempo de obedecer,
alcançar a vinha aqui, ali, além;
sustentando aqueles que vão,
onde estiver um deles pregando a salvação,
tu estarás, também.

“Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo; levantai os vossos olhos e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa. E o que colhe recebe galardão e ajunta fruto para a vida eterna, para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem” – João 4.35-36.







20
abr
2013
Recordando postagens antigas do Compartilhando as Letras


Essas fotos que colocarei aqui agora, faziam parte dos posts que foram perdidos. Muito post bonito e que nos tocavam diretamente no coração.Claro, que não vai dar para eu colocar tudo direitinho como era antes, porque também, a cabeça da gente não se lembra de tudo. Coloco aqui algumas fotos e, alguns pensamentos que, outrora,foram publicados, para vocês sentirem o gostinho e verem como perdemos muita coisa boa. Observem:

 photo wallpapers-amor-2.jpg

.

Às vezes a gente se pergunta sobre o segredo da alegria.
É nos sonhos que ela mora.
Alegria é quando o sonho se realiza.
Como quando se espera pelo regresso da pessoa amada.
Antes é a saudade, o vazio.
Depois, o abraço, a alegria.
Quem não sonha não pode ter alegria.
Rubem Alves – Presente – pag. 53.

 photo sentimentos.jpg

.

“Hoje não há razões para otimismo. Hoje só é possível ter esperança. Esperança é o oposto do otimismo. “Otimismo é quando, sendo primavera do lado de fora, nasce a primavera do lado de dentro. Esperança é quando, sendo seca absoluta do lado de fora, continuam as fontes a borbulhar dentro do coração.” Camus sabia o que era esperança. Suas palavras: “E no meio do inverno eu descobri que dentro de mim havia um verão invencível…” Otimismo é alegria “por causa de”: coisa humana, natural. Esperança é alegria “a despeito de”: coisa divina. O otimismo tem suas raízes no tempo. A esperança tem suas raízes na eternidade. O otimismo se alimenta de grandes coisas. Sem elas, ele morre. A esperança se alimenta de pequenas coisas. Nas pequenas coisas ela floresce…”
(Rubem Alves)

.

 photo wallpapers-amor-4.jpg

“A rosa não tem “porquês”. Ela floresce porque floresce.”
Drummond repetiu a mesma coisa no seu poema As Sem-Razões do Amor. É possível que ele tenha se inspirado nestes versos mesmo sem nunca os ter lido, pois as coisas do amor circulam com o vento.
“Eu te amo porque te amo…” – sem razões… “Não precisas ser amante, e nem sempre sabes sê-lo.” Meu amor independe do que me fazes. Não cresce do que me dás. Se fosse assim ele flutuaria ao sabor dos teus gestos. Teria razões e explicações. Se um dia teus gestos de amante me faltassem, ele morreria como a flor arrancada da terra.
“Amor é estado de graça e com amor não se paga.”
Nada mais falso do que o ditado popular que afirma que “amor com amor se paga”. O amor não é regido pela lógica das trocas comerciais. Nada te devo. Nada me deves. Como a rosa que floresce porque floresce, eu te amo porque te amo. (…) Rubem Alves







13
abr
2013
A beleza das estrelas
Categorias: Educação, Poesia, Reflexão


Meu filho Marcos, pai da Rafaela, me disse que ela gosta de ver as estrelas, que eles dois, no escuro da noite, se deitam na rede e ficam conversando sobre elas…
Tem de ser no escuro da noite. É no escuro que a gente vê melhor o seu brilho. Faça uma brincadeira. Na sala, iluminada com lâmpadas elétricas, acenda uma vela.
A luz da vela não vai fazer diferença alguma. Nem vai ser notada. Agora, apague as luzes e acenda uma vela… Ah! Como é linda a luz da vela! A vela se torna o centro da sala, a coisa mais importante. E a gente cuida para que um sopro de vento não a apague! Assim são as estrelas. Nas cidades iluminadas pelas lâmpadas elétricas, o céu fica embaçado, a luz das estrelas fica fraquinha e a maioria desaparece.
Agora imagine: nos tempos de antigamente, quando não havia luz elétrica e as noites eram realmente escuras! O escuro é ruim. Dá medo. Os olhos precisam de luz. Sem luz, ficamos cegos. Naquele escuro enorme, quando não se podiam ver as coisas da Terra por causa da escuridão, era possível ver os céus, iluminados por milhares, milhões de estrelas, piscando… A luz das estrelas traz alegria! Mário Quintana, um poeta velho com alma de criança, amava as estrelas e disse:

“(•••) que tristes seriam as noites sem a luz mágica das estrelas!”.

.

 photo tn_nebulosatrif1.jpg

Quando eu era menino, gostava de ficar deitado na grama, barriga para o ar, olhando as nuvens. E imaginava com o que elas se pareciam: um pato, um peixe, uma cafeteira, um jacaré, uma abóbora, um dragão… Essa é uma brincadeira divertida que todo mundo faz. Pois os homens que gostavam de olhar para as estrelas, há milhares de anos, faziam coisa parecida. Você já deve ter feito um desenho assim: uma folha de papel com vários pontos; a gente vai ligando os pontos com um risco e, de repente, aparece uma coisa: casa, árvore, sapato… Acho que essa brincadeira foi inspirada naquilo que os antigos faziam com as estrelas. Pois os céus, durante a noite, não são uma imensa folha de papel preto cheia de pontinhos luminosos? Eles ligavam as estrelas com riscos imaginários e diziam: é um escorpião, é um caçador com dois cães, é uma cruz, é um peixe, é uma águia! É isso que tem o nome de constelação.
Constelação é uma palavra formada por duas outras, do latim. Latim é uma língua muito antiga da qual nasceram o italiano, o espanhol, o francês, o português. A palavra constelação é formada pela junção (junção quer dizer ligação, duas ou mais coisas que se encontram) de con, que quer dizer junto, e stella, que quer dizer estrela.
Uma menina que se chama Stela é estrela. Se for Stela Marisé estrelado mar… Constelação, assim, quer dizer ajuntamento de estrelas. Aqui no Brasil a constelação mais conhecida é o Cruzeiro do Sul. Se você olhar para o Cruzeiro do Sul às 7 da noite, às 9 e às 11, você verá que ele muda de posição. Ele vai girando em torno de um ponto. Esse ponto é o sul. A outra, mais famosa, é o Óríon, aquela que tem as Três Marias no meio.(…) Pois o Órion tem, ao seu lado, as constelações chamadas Cão Maior e Cão Menor. Na constelação Cão Maior se encontra a estrela de maior brilho no céu, chamada Sírius. E há a constelação chamada Plêiades. A gente quase não vê. Mas com um binóculo comum aparecem as estrelas, nem sei quantas, lindas. Cecília Meireles, talvez a maior das nossas poetisas, fala delas num dos seus poemas:

“Vimos as Plêiades. Vemos agora a Estrela Polar. Muitas velas. Muitos remos. Curta vida. Longo mar…”.

(…)

Rubem Alves

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...