13
maio
2009
Nunca estamos satisfeitos


Satisfeitos? É exatamente o que não somos. Nunca estamos satisfeitos…

Tiramos férias da vida…

Satisfazemo-nos com sol, diversão e boa comida.

Mas antes mesmo de voltarmos para casa, receamos o fim

da viagem e começamos a planejar outra.

Não estamos satisfeitos.

Quando somos crianças, dizemos: ” Se apenas eu fosse um adolescente.”

Na adolescência falamos: ” Se apenas eu fosse adulto.” Ao nos tornarmos adultos, ” Se apenas eu fosse casado.” Quando nos casamos, ” Se apenas eu tivesse filhos.”

Não estamos satisfeitos. Contentamento é uma virtude difícil de ser conquistada. Por quê? Porque não há nada na terra capaz de satisfazer nossos anseios mais profundos. Ansiamos ver a Deus. As folhas da vida estão sussurrando que isso acontecerá- e não ficaremos satisfeitos até que aconteça.

Do livro: Quando Deus Sussurra seu Nome

Max Lucado


Pensando nessa mania de nunca estarmos satisfeitos e, olhando ao nosso redor, vemos outras pessoas tão infelizes, escolhi esse vídeos que fala das mazelas de outros povos. Nós devemos louvar e engrandecer a Deus por tudo o que temos. Vejam com atenção e comecem a agradecer ao Senhor pela vida e tudo o mais que você possui.

Imagens:   Google







4
abr
2009
A grande resposta


Quero escrever-te como quem aprende. Fotografo cada instante, aprofundo as palavras como se pintasse, mais do que um objeto, a sua sombra. Não quero perguntar por quê, pode-se perguntar sempre por que e sempre continuar sem resposta: será que consigo me entregar ao expectante silêncio que se segue a uma pergunta sem resposta? Embora adivinhe que em algum lugar ou em algum tempo existe a grande resposta para mim.

Clarice Lispector ( in “Agua Viva”)

Engraçado que, quando perguntamos, queremos obter de pronto a resposta. Com relação a essa jornada de idas e vindas ao Hospital, eu me pergunto sempre: Por quê??

Me pergunto dia e noite, por quê??

As vezes queremos uma resposta de imediato por contas de vários acontecimentos que surgem em nossa vida e me pergunto de novo: por quê??

É tão ruim querer saber os porquês , e,  não encontrarmos respostas, não encontrarmos ecos. Silêncio tem horas que é um terrível deserto . Eu gosto de saber o porque das coisas, sou curiosa, lembram?

**** Mas , sei que Deus está trabalhando, Ele nos carrega no colo nessas horas de dor, sem Ele não sairíamos bem, nem estaríamos animados, fortalecidos,  e, sabendo que somos mais do que  vencedores.  Sei que Ele tem um porque para tudo isso , nada é em vão. Tenho certeza que o Senhor está nos moldando, aparando as arestas, nos capacitando para o exercício do Ministério. Temos tido promessas de dias de muito riso e alegrias.  Creio que em breve cantaremos o HINO DA VITÓRIA. Pois quem nos fez a promessa é Fiel!








23
mar
2009
Jeito de ser ou tipo de criação?


Todos nós temos o nosso jeitinho próprio de ser, temos nossas preferencias, uns gostam de roupas assim, outros gostam assado. Existem várias comidas e  bebidas prediletas por uns e detestadas por outros. Por isso que se diz que,  “gosto não se discute.”  Tenho uma amiga que vende roupas,  mes passado, naquele calorão intenso, ela  levou vários tipos de blusas de verão, bem fresquinhas, bem decotadas, bem “nuas”. As blusas tinham um bustiê por baixo e eram de alcinhas bem fininhas, outras bem decotadas. Eu olhei, vesti, revirei pra cá e pra lá e pensei, “eu não vou usar isso, comprar só por comprar é desperdício.” Achei lindas as blusas, mas pra eu usar, não!!! Não me sinto bem, me sinto nua. Fico pensando:  será que foi a minha criação? Será que é porque é diferente das que uso? Estilo e padrão totalmente diferentes? Devolvi todas as blusas, não vou usar, não adianta, é de mim, não me senti confortável pra usar. Vejo mulheres mais velhas que eu, mais rechonchudas e não estão nem aí, usam tudo!! Esses dias foi uma avó lá na Escola pedir transferência, estava com piercing no umbigo, short, e o rosto  não combinava com a indumentária. Ah!! Faça-me o favor!!  Eu tenho um certo bloqueio, uma certa resistência, acho que não me convém.  Não tem nada à ver com igreja, pois a Igreja Batista é moderna e não tem essas paranóias de vestimenta, etc…

Eu sou assim é o meu jeito de ser, minhas roupas são moderninhas, mas decentes, cobrem do Oiapoque ao Chuí. Do Norte ao Sul, do Leste ao Oeste. Acho que devemos usar o que nos convém, usar o que nos cai bem e que  não escandalize o meu irmão. O que vocês acham???? Vocês concordam?







22
fev
2009
De volta para o Senhor
Categorias: Uncategorized


Quantas vezes em nossa vidas devido as turbulências nos afastamos de nosso Senhor, permitimos que maus pensamentos e até tomamos atitudes que não condizem com nossa fé, com nossa vida de cristão. Deus quer mudar isso, ele quer mudar esse quadro. Olhe o que Ele nos aconselha em  Lamentações 3: 40:

” Esquadrinhemos os nossos caminhos, provemo-los, e voltemos para o Senhor.”

Segundo esse verso chave, nossos caminhos devem ser esquadrinhados, isto é  acertados, formatados corretamente. Deus não força ninguém, Ele  apenas fala mansamente ao nosso  coração mostrando onde nós  devemos acertar, aplainar daqui, ajeitar dalí. Deus é um Deus de amor, fala-nos através de seu Espírito Santo e, entendemos claramente o que ele quer nos dizer, o que quer nos mostrar, faz isso por amor a nós, pois grande é sua misericórdia!!  Precisamos avaliar constantemente nossos caminhos e tomarmos a decisão certa. As vezes as bênçãos não vem , pois estamos tortos, fora daquilo que Deus planejou pra nós. E viver em sintonia com o Senhor não tem comparação é bênção sobre bênção. Corrijamos hoje nossos passos e voltemos para o Senhor, pois  voltar para Deus é sempre a melhor opção.

Encontrei essa música linda, Correndo pros teus braços  e achei muito oportuna para essa Reflexão, cante e medite na letra.

Ministério trazendo a arca

Composição: Luiz Arcanjo, Davi Sacer e André Rodrigues

Quão distante eu pude chegar
Tão cansado e ferido estou
Que saudade de ouvir Tua voz
Que vontade de te abraçar
Estou voltando pros Teus braços
Senhor
Decidido estou em retornar
A distância não vai me impedir
Correrei as montanhas e os vales
Como a corça em busca das águas
Minha sede é maior que o mar

Correndo pros Teus braços
Pra nunca mais me afastar
Estou arrependido
E disposto a me humilhar
Prefiro Tua presença
Mais que todos os bens
Que tu possas me dar.







24
nov
2008
Os brilhantes cérebros do Mundo


     

As mentes mais extraordinárias da terra pertencem a pessoas que mal conseguem falar ou calçar os sapatos. Conheça os SAVANTS- e o que eles podem nos ensinar sobre os limites da inteligência humana.

   Kim Peek lê um livro de 300 páginas em 40 minutos. Uma  página com cada olho. Esse  americano de 57 anos já leu 9 mil livros, o que dá mais ou menos um a cada dois dias desde a infância. E com uma diferença em relação a você: ele não esquece nada do que leu. Kim sabe de cor a história de todos os países,  seus presidentes, quando eles nasceram, quem foram suas esposas… Recita qualquer trecho da Bíblia , do Alcorão ou da estrutura de um ônibus espacial.

  Daniel Tammet  simplesmente inventou uma matemática particular( faz contas combinando formas imaginárias).Pergunte para Daniel  quanto é, digamos ,27 elevado à 5ª potência. Ele responde rapidinho, sem ter feito conta ou decorado nada.

Daniel e Kim tem outra coisa em comum, além desses superpoderes :  os dois são deficientes mentais, diagnosticados como autistas. Kim mal consegue falar, não sabe abotoar a camisa e, quando criança, lhe recomendaram internação para o resto da vida. Daniel é mais comunicativo, um rapaz bem simpático até, mas se sente perturbado quando anda em ruas movimentadas e é muito desligado. Isso de combinar  algum problema mental com brilhantismo, ou até genialidade, em certas áreas, é conhecido como síndrome de savant ( “sábio”, em francês), uma condição raríssima que desafia as idéias sobre como a mente funciona.

Você pode ser um Savant– Ao que parece , os danos mentais que os savants têm os deixam sem acesso a grande parte da memória consciente.  Então seu cérebro simplesmente transfere as funções dela para a implícita( aquela que nos permite trocar as marchas do carro sem pensar) . E eles fazem automaticamente coisas que temos  que pensar ( e muito) para fazer. Para o neurologista  Allan  Snyder , da Universidade de Sydney, existe um Daniel Tammet dentro da sua cabeça. Esse “savant interior” foi quem fez você aprender a falar. E a coisa mais maluca é que Snyder  quer fazer com que esse savant que um dia esteve em sua cabeça apareça para dar um oi. Como? Aplicando imãs no crânio. A idéia é “desligar” temporariamente partes da massa cinzenta a fim desimular os danos que os savants têm no cérebro. E assim fazer com que você veja o mundo  como se fosse deles. E não é que deu certo? Snyder fez com que pessoas submetidas ao experimento “virassem savants” por algum tempo, desenhando de forma mais precisa ou encontrando com mais facilidade erros de digitação que o cérebro das pessoas normais costuma ignorar. E o australiano vai mais longe. Ele acredita  que novas versões de experiências como essas poderiam despertar a criatividade de gente comum. Afinal, por alguns minutos, poderíamos absorver informações em estado bruto, sem filtro dos padrões mentais. Aí seria possível uasr isso para desafiar idéias preconcebidas e inovar.

Como, aliás , inovaram dois savants famosos: Isaac Newton e Albert Einstein. Não, não existe prova nenhuma de que eles portavam essa condição. Mas alguns neurologistas acham que os dois apresentavam, sim, pelo menos alguns sintomas  da síndrome de Asperger- principalamente inabilidade social e obsessões compulsivas. De fato Newton mal abria a boca e ficava imerso no trabalho a ponto de não comer. E Einstein que se comportava  como um autista até 7 anos , repetindo frases sem parar, era tão desligado que certa vez não percebeu um terremoto enquanto divagava. Talvez nunca saibamos se els  eram ou não versões moderadas  de Daniel Tammet. Mas Einsten pode ter deixado uma pista: “” Uso sinais , imagens mais ou menos claras , como ferramentas para pensar. Elas se encaixam sozinhas, voluntariamente. esse jogo de combinações me parece mais essencial que construções  lógicas com palavras.” Foi o que disse certa vez o alemão.

***Para saber mais: A inteligência- Um Conceito Reformulado

Howard Gardner- Objetiva ,1999.

Born on a Blue Day

Daniel Tammet, Free Press, 2007

**Essa matéria completa encontra-se na Revista Super Interessante -set/2008.
Fonte: Super Interessante -set/2008.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...